Quando Tomb Raider foi lançado pela primeira vez em 1996, foi uma bomba na indústria.

Nos anos 90, durante a transição de jogos 2D para 3D poligonais, Tomb Raider era um exemplo brilhante de jogabilidade baseada em exploração com uma atmosfera imersiva que não era possível até aquele momento. Também, não existia protagonistas femininas fortes, sérias e altamente competentes como Lara Croft, embora, de certa forma, com o escalamento da fama a nível mundial, o papel de Lara Croft como protagonista foi altamento sexualizado, especialmente na publicidade, apesar de nos jogos, essa componente não era explorada. Lara Croft nos jogos era provocadora sim, mas nas suas palavras e nunca no seu corpo.

Outrora feito de uma forma bastante indie (foi feito por apenas 6 pessoas), a produção escalou e foi calendarizado para um lançamento anual, como se uma série de simulação de desporto se tratasse. Com o tempo, embora houvesse algumas melhorias na jogabilidade, a série começou a mostrar desgaste e a inovação terminara em 2000 com o lançamento de Tomb Raider V: Chronicles. Houve inclusive, uma tentativa de matar a personagem na quarta entrega, mas saiu um plano furado, pois a Eidos (a editora na altura) pretendia mais sequelas. Tomb Raider era a marca mais vendida do seu portfólio e não pretendia terminar a sua principal fonte de rendimento tão cedo.

Em 2003 houve uma tentativa de reformular a série, onde inclusive houve uma pesquisa de jogos mais vendidos (como Metal Gear Solid, Shenmue, vários RPG's, entre outras referências) de modo a série tornar-se novamente relevante na indústria, contudo, a má gestão do escalamento de produção para a Playstation 2 (onde passaram de gráficos cúbicos na PS1 para um mundo bem detalhado na PS2) fez com que Tomb Raider: Angel of Darkness fosse lançado antes do tempo, mostrando uma jogabilidade, embora inovadora, não estava bem trabalhada. A 6ª entrega vendeu bem, mas foi devastada tanto pelos críticos como os fãs da série.

A Eidos então decidiu transferir a propriedade para uma empresa mais familiarizada com a nova geração de consolas, e foi onde a Crystal Dynamics entrou em cena. A produtora provou que conseguia fazer jogos de ação-aventura com Legacy of Kain, e em 2006 revitalizou a série com Tomb Raider: Legend, que se focou nos pontos fortes dos primeiros capítulos da PS1 - locais exóticos, quebra-cabeças e acrobacias incríveis - enquanto moderniza a jogabilidade e otimizou toda a experiência. Crystal Dynamics continua o seu bom trabalho com Tomb Raider: Anniversary, que efetivamente volta ao Tomb Raider original e o reconstrói do zero. 

Como o original, Tomb Raider: Anniversary segue a história na busca de Lara ao Scion de Atlântida enquanto ela batalha com a empresária Jacqueline Natla e seus vários sócios. Explorarás tumbas antigas e cidades esquecidas no Peru, Grécia, Egito e muito mais, realizando muitas acrobacias que desafiam a morte à medida que avanças através de quebra-cabeças enormes, antigos e muitas vezes mortais. Toda a experiência é altamente evocativa do original, e certamente há muitos momentos que parecem projetados especificamente para criar uma estranha sensação de déjà vu; mas nada em Tomb Raider Anniversary foi regurgitado literalmente - tudo é maior e melhor. Os ambientes são maiores e mais detalhados, e os quebra-cabeças existentes foram elaborados com um detalhe incrível. A experiência parece maior, e há tanto conteúdo novo que, honestamente, parece menos com um remake e mais com seu próprio jogo.

Grande parte desse sentimento vem de como Lara se tornou muito mais talentosa desde o Tomb Raider original. Com exceção de algumas diferenças nominais, ela basicamente tem as mesmas habilidades que tinha em Tomb Raider: Legend, o que a tornou numa das heroínas de aventura de ação mais ágeis ao lado do Príncipe da Pérsia. A sua proficiência nas plataformas é incrível - ela pode deslizar através das bordas, pular de uma saliência para outra e escalar de uma saliência para uma saliência mais alta. Ela pode se balançar em cordas pendentes e barras horizontais, realizar manobras cambaleantes para evitar projéteis e escalar, saltar e se equilibrar precariamente em postes verticais. Todas essas acrobacias parecem naturais, e não muito difíceis de realizar, com o jogo permitindo a quantidade certa de margem de erro. Por melhor que seja Lara, ela tem seus limites, o que é uma grande parte do que faz a ação parecer perigosa. Se você perder o tempo ao pular para uma saliência, Lara pode pegá-lo apenas com uma mão, o que fará com que você aperte furiosamente um botão para ajudá-la a se recuperar. Se errar a borda completamente, no entanto, Lara provavelmente morrerá, ou pelo menos incorrerá em sérios danos.

Ela precisará exercitar cada uma dessas habilidades ao seu limite absoluto em Tomb Raider: Anniversary, que apresenta muitas acrobacias ridículas. O jogo é essencialmente composto por uma série de quebra-cabeças gigantescos e únicos. Às vezes, os quebra-cabeças são assuntos tradicionais do tipo "encontre a chave" como no original, mas, na maioria das vezes, o verdadeiro quebra-cabeça é descobrir como usar a capacidade de Lara de ir do ponto A ao ponto B. Além do mais, o os quebra-cabeças costumam ter várias camadas de profundidade. Embora seu objetivo geral seja encontrar quatro chaves para abrir uma porta, primeiro você terá que descobrir como chegar ao fundo de uma gigantesca torre em ruínas, depois do que você terá que descobrir como acessar quatro diferentes portas, após o que você terá que descobrir como realmente abrir essas portas - e, é claro, atrás de cada uma dessas portas está uma série de truques e armadilhas que você terá que atravessar antes de chegar ao chaves. Resolver um desses quebra-cabeças abrangentes pode ser um processo complicado, com alguns deles levando bem mais de uma hora para serem concluídos.

Os ambientes são seus maiores adversários na maior parte do tempo em Anniversary, embora através de sua exploração você regularmente encontre alguma fauna antagônica como ratos, morcegos, lobos, ursos, tigres, gorilas, raptores e o ocasional Tiranossauro Rex. O combate é limitado a tiroteios, mas Lara também pode rolar e girar pelo ar enquanto mantém a mira no inimigo. A novidade em Anniversary é a evasão de adrenalina, que em momentos específicos permite a Lara desviar de um inimigo em movimento lento. Quando o tempo diminui, um alvo também se move lentamente em direção ao inimigo, e se você disparar a arma bem no momento em que ela acerta, ela produzirá uma morte instantânea, geralmente quando o animal feroz está a apenas alguns centímetros de seu rosto. Ainda parece o combate de Tomb Raider, que sempre foi uma pequena parte da experiência, mas a adrenalina é um pequeno toque que adiciona um pouco mais de drama à ação. Tomb Raider: Anniversary também usa o mesmo tipo de cenas interativas vistas em Tomb Raider: Legend, onde você terá que reagir rapidamente a uma sugestão de botão na tela para manter Lara viva. Permite algumas sequências de ação lindamente coreografadas, mas raramente são muito desafiadoras.

O que mantém Tomb Raider: Anniversary envolvente é a força da jogabilidade, bem como a qualidade da apresentação. Mesmo que você esteja basicamente indo de um túmulo para outro, eles apresentam detalhes individuais o suficiente para torná-los únicos. Os ambientes também são enormes, usando o corredor com curvas ocasionais para mascarar os tempos de carregamento e, além de alguns truques de jogabilidade menores, eles parecem bastante reais. Lara parece ótima e se move com uma graça natural que faz seus incríveis feitos acrobáticos parecerem viáveis ​​em vez de ridiculamente sobre-humanos, e os vários animais selvagens que você enfrenta também se movem de forma convincente. São os pequenos toques que unem tudo: a forma como a água brilha na pele de Lara quando ela sai da água, a forma como a luz refrata de forma diferente quando ela está embaixo d'água ou a diferença tangível na atmosfera entre diferentes locais.

Tomb Raider: Legend fez muito para que Lara Croft se sentisse relevante novamente, e Tomb Raider: Anniversary é mais um passo na direção certa. A ação acrobática é sempre emocionante e desafiadora, e apesar de ser um remake, a experiência parece nova e fresca. Este é o melhor jogo Tomb Raider em anos e, pela primeira vez em muito tempo, isso realmente significa algo.

 

Tomb Raider: Anniversary está disponível em qualquer Xbox graças ao excelente trabalho da Microsoft.

Back To Top